domingo, 3 de novembro de 2019

A empresa Super Star


A Empresa Super Star.
Super Star é aquela empresa que tem legiões de fãs que falam bem dela, fazem propaganda gratuita, querem seus produtos e adoram trabalhar nela.
Harley Davidson, Ferrari, Apple ou Disney são alguns exemplos de Empresas Super Stars.
Quem não admira estas empresas, quem não gostaria de possuir seus produtos ou de trabalhar em uma delas?
Há um mundo de empresas Super Star nos mais diferentes ramos de atividade. Alimentos, bebidas, sistemas, tecnologia ou comercio, muitas das quais não são tão aclamadas porque operam nos bastidores da vida real, mas cuja falta seria intensamente sentida. Microsoft, a Intel, a Boeing entre muitas outras que facilitam em muito nossas vidas, não são cantadas em prosa e verso como as anteriores. Mas são todas Super Stars.
E a sua empresa, é uma Super Star?
Se não é Super Star não significa que não possa vir a ser.
A Super Star sempre opera dentro do tripé do Marcus Lemonis: Produto, Processo e Pessoas.
Sem um produto campeão não haverá possibilidade de ser uma Super Star. Não conquistará fãs.
Sem um processo campeão, não conseguirá manter campeão um produto por melhor que seja.
Sem uma equipe campeã, nem mesmo um produto ou um processo potencialmente campeões conseguirão torná-la uma Super Star.
O grande segredo da Super Star está nas pessoas. São elas que farão com que tudo aconteça, o que torna imprescindível que sejam elas as primeiras fãs da empresa. Somente com fãs “indoor” é que se tornará possível conquistar fãs no universo “outdoor”.
Tudo tem que ser feito com carinho e dedicação. As pessoas têm que dar o melhor de si pela Super Star e, para isto, têm que ser conquistadas por ela.
A conquista das pessoas só se consolida quando elas passam a confundir seus propósitos pessoais com os da empresa, ou seja, quando o sucesso dela passa a ser seu próprio sucesso. Aí, como acontece com um Super Star do Rock, os fãs o aclamarão, pagarão para vê-lo e ouvi-lo e farão propaganda gratuita dele. Vão desejar que ele tenha grande sucesso, que ganhe muito dinheiro e se sentirão gratificadas em ajudá-lo a ganhar mais e mais.
E porque, então, nem toda empresa é Super Star?
Simplesmente porque não basta pagar bons salários e proporcionar excelentes benefícios para que uma pessoa se torne sua fã. É preciso muito mais.
Empresa e pessoas são dois universos distintos, tão diferentes como água e óleo os quais só formarão uma emulsão se forem altamente energizados. As pessoas carregam um inimaginável potencial energético que cabe à empresa transformar em trabalho. E isto só ocorre quando o estímulo é tal que as pessoas descarreguem toda a sua energia em seu favor.
Como as pessoas trabalham visando seus objetivos pessoais e não os da empresa (ninguém procura um emprego para ajudar uma empresa, e sim, para resolver seus próprios problemas), a magia está em amalgamar ambos os objetivos fazendo com que, em buscando os seus, as pessoas busquem obrigatoriamente os da empresa.
A empresa precisa saber o que as pessoas, e aqui todos nós estamos incluídos, querem, e dizer-lhes o que ela própria quer. Tem que firmar um pacto ganha – ganha permitindo que as pessoas encontrem condições de se auto realizar trabalhando nela. Tem que dar liberdade para que as pessoas busquem seu desenvolvimento e progresso pessoal mantendo atenção plena em jamais permitir que injustiças sejam perpetradas. As pessoas são extremamente sensíveis a qualquer tipo de injustiça, seja real ou imaginária. Tem que escancarar as portas para o diálogo, o questionamento, às críticas e as sugestões. Tem que dar respostas e cobrar a entrega. Tem que balizar e dar feedback. Tem que compartilhar, dividir, comemorar, abraçar.
Este é o modelo das Super Stars. Todos unidos em torno de um só propósito, de uma só Ideia.
As pessoas no mundo externo sempre vão se aperceber deste tsunami de produtividade e qualidade que extravasará através dos portais da empresa. Vão ver, experimentar e, quem sabe, se apaixonar. E, então, levantarão suas bandeirinhas e formarão uma nova legião de fãs.
Você quer um Ifone 11 ou uma Harley Sportster XL 883? Pois saiba que por trás destes produtos existem empresas Super Stars com seu exército de fãs dando o melhor de si para que você também se torne um deles, ou quem sabe, até mesmo um novo Super Star.
O autor é diretor da FJacques - Gestão através de Ideias Atratoras, empresa alavancadora de Super Stars e coirmã da Selcon Consultores Associados – MS Francisco Lumertz (Professor Chicão), Porto Alegre, e autor do livro “Quando a empresa se torna Azul – O poder das grandes Ideias”.
www.fjacques.com.br -  fabio@fjacques.com.br
Whatsapp: 9725 6254

Um comentário:

  1. Parabéns Fábio Jacques pela lucidez, empresas precisam ser pop star e a primeiro passo e o attractor thinking, ter ideias atratoras

    ResponderExcluir