quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Perícia médica contemporânea é tema da edição de novembro


O Cremers Debate de novembro vai discutir o tema “Perícia médica contemporânea - princípios éticos e legais”.
O evento que acontece neste sábado, dia 9 de novembro, das 9h às 12h, no Auditório do Cremers (Rua Bernardo Pires, 415).

Para esclarecer algumas particularidades da atividade, o médico perito e clínico Jorge Luiz Fregapane explica que
“a perícia médica apresenta características de uma nova especialidade médica, com abrangência entre todas as demais.
Regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a perícia é um ato médico peculiar, diferente do ato médico assistencial,
no qual se estabelece uma confiança mútua entre médico e paciente”.

Fregapane ainda destaca a importância em debater o tema. “Esta ‘nova’ e crescente prática médica vem gerando uma série de conflitos,
até mesmo judiciais, entre o médico perito e o periciado. Buscamos, neste evento, traçar um panorama com as diversas repercussões atuais dessa prática médica no Cremers,
no Ministério Público, na Justiça Federal e nos demais âmbitos da sociedade”.

A abertura do evento será presidida pelo presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers),
Eduardo Neubarth Trindade, e mediada pelo médico e conselheiro do Cremers, Marcelo Rodrigo da Luz.

O debate contará com a participação do desembargador da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado (TJRS),
Ney Wiedemann; do médico perito e clínico Jorge Luiz Fregapane; do procurador de Justiça do Ministério Público Estadual e mestre em Direito,
Juan Carlos Durán; da juíza federal da 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Taís Schilling Ferraz;
da professora de Medicina Legal da PUCRS e conselheira do Cremers, Márcia Vaz; da conselheira federal Tatiana Della Giustina; e do procurador do Cremers, Juliano Lauer.
O evento será gratuito e aberto ao público.

CREMERS DEBATE
O Cremers Debate tem por objetivo abordar temas importantes que merecem atenção e devem ser discutidos pelos médicos e pela sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário