segunda-feira, 8 de abril de 2019

Pressão do STF foi ‘ostensiva’ para enterrar CPI da Lava Toga na primeira tentativa, disse senador Alessandro Vieira


Pressão do STF foi ‘ostensiva’ para enterrar a primeira tentativa de pedir a CPI da Lava Toga. Ministros STF atuaram nos bastidores, durante o fim de semana, para que o Senado recuasse da abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o “ativismo judicial”. Apelidada de “Lava Toga”, o primeiro pedido de CPI foi enterrado após três senadores – Katia Abreu (PDT-TO), Rasso Jereissati (PSDB-CE) e Eduardo Gomes (MDB-TO) – retirarem o apoio.

Katia Abreu, em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, inclusive admitiu ter conversado por telefone com o ministro do STF Gilmar Mendes antes de retirar a assinatura. Mas ela disse que tomou essa decisão para não criar uma crise institucional entre Poderes.


Leia a entrevista  que naépoca concedeu o senador Alessandro Vieira, que voltou a recolher assinaturas, conseguiu mais do que as 27 necessárias e tenta emplacar tudo de novo, agora sob nova carga de pressões:

Como o sr. recebeu a retirada das assinaturas?

Não conversei com os dois [os senadores Tasso Jereissati e Kátia Abreu] sobre os motivos [da retirada das assinaturas da CPI]. Vou conversar. Quem tem de se preocupar com isso são os eleitores deles.

A que o sr. atribui esse recuo?

Recebo com uma certa naturalidade, uma vez que havia uma pressão muito grande contra a concretização da CPI.

O sr. considera que o Supremo é uma caixa-preta?

Alguns setores do STF configuram, sem dúvida, o que se denomina caixa-preta.

Acha que houve pressão do Judiciário pela retirada das assinaturas, com o argumento de que isso poderia abrir uma guerra entre os Poderes?

A pressão de alguns ministros aconteceu e ela foi ostensiva. Houve ameaça de retaliação em relação ao plano econômico, de uma crise institucional.

Os críticos da CPI dizem que seria uma vingança contra o ministro Dias Toffoli por ter derrubado o voto aberto [na eleição para presidente do Senado].

Não tem cabimento nenhum essa alegação. Não tenho vinculação com nenhum tipo de grupo político. A proposta é uma demanda da sociedade.

O sr. acredita que a CPI pode abrir uma guerra entre os Poderes?

3 comentários:

  1. OLÁ CARÍSSIMO EDITOR...BOM DIA...NA MINHA ÓTICA DE ELEITOR E CIDADÃO QUE VEM ACOMPANHANDO OE MOVIMENTOS DESSES PODRES PODERES LÁ DAQUELA PRAÇA IMUNDA, É QUE DE FATO SABEMOS E EXISTEM INUMEROS PROBLEMAS DE TODAS AS VERTENTES NAS AÇÕES E ATITUDES DAQUELES QUE ESTÃO MINISTROS NAQUELA POCILGA. SABEMOS TAMBÉM QUE TEMOS VÁRIOS DEPUTADOS E SENADORES COM PROCESSOS NAQUELE TRIBUNAL E QUE ESSES SENADORES CORRUPTOS PODEM MUITO BEM ESTAREM SENDO CHANTAGEADOS PELOS MINISTRO CORRUPTOS TENDO COMO PANO DE FUNDO SEUS PROCESSOS DORMITANDO SOB SUAS BUZANFAS MOLES E ISSO É MAIS DO QUE FACTÍVEL CERTO? O GILMAR OU TOFOLLI OU OUTRO IMPLICADO QUALQUER PODE MUITO BEM AMEAÇAR SENADORES A COMEÇAR CONVERSAS COM SEUS PARES, PRINCIPALMENTE O PRESIDENTE DO SENADO...NAQUELAS POCILGAS TEMOS QUE ACREDITAR EM TUDO...TEM SIDO POR DÉCADAS ANTROS DE SAFADEZAS DE TODOS OS GRAUS...NO SENADO SEMPRE EXISTIU ESCULHAMBAÇÃO...NO STF TIVEMOS NO PASSADO QUASE REMOTO, PERSONALIDADE QUE EDIFICARAM A INSTITUIÇÃO, HOJE EM DIA TEMOS TIDO CADA CAVALGADURA QUE SOMENTE CONTRIBUEM PRA SUA RUÍNA...MAS É O QUE PENSO DIANTE DOS COMPORTAMENTOS DAQUELES TRASTES QUE LÁ HABITAM...ABRAÇOS.

    ResponderExcluir
  2. Está na hora dos generais do nosso exercito, também começarem a fazer alguma coisa a respeito disso, esta esquerda já está passando da hora, fazem o que querem e ninguém está fazendo nada.

    ResponderExcluir
  3. ....infelizmente, é o quê chega ao povo...o erro não está, teoricamente, nos atuais ministros; a meu ver, seja lá que for, se o povo quer ou apoia, deve ser aberta; quem está com medo? Seriam os componentes do povo, pobre mortais ou os SENHORES DA TOGA E POLÍTICOS CORRUPTOS? ABRAM A CPI E VEREMOS ALGUMA COISA.....tomara que estejamos errados!

    ResponderExcluir