sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Termos do acordo

 De acordo com uma fonte do MDB que falou comigo agora há pouco por cerca de 10 minutos, o posicionamento de hoje do Bolsonaro integra um acordo que já vinha sendo construído nas últimas três semanas entre Ciro Nogueira, Gilmar Mendes, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco. 


Com a forte adesão popular, Bolsonaro buscou solidificar esse acordo. E consiste no seguinte:


- Ação no STF que pede derrubada dos decretos de armas será rejeitado;


- Inquérito dos atos antidemocráticos será assumido pela PGR;


- Nova regulamentação em torno da raposa Serra do Sol;


A nível legislativo, a negociação incluiu:


- Emenda Constitucional para regulamentar um ponto da CF para o STF só carimbar em torno de ações que sejam constitucionais ou inconstitucionais, o resto é de autonomia do Legislativo ou até mesmo de instâncias inferiores do Judiciário;


- ICMS fixo;


- Aprovação do Auxílio Brasil;


- Solução dos precatórios;


- Aprovação de Mendonça pro STF.


Coube ao Bolsonaro esvaziar as manifestações dos caminhoneiros, evitar desabastecimentos e dar andamento aos planos econômicos para reduzir inflação e afins.


E a nível político, a participação do Michel Temer foi para o Bolsonaro avalizar no ano que vem a candidatura do Temer para deputado federal e ele presidir a Câmara após o biênio do Lira. Foi isso costurado hoje e negociado ao longo das últimas três semanas. Se serão cumpridos, não sabemos

Nenhum comentário:

Postar um comentário