quinta-feira, 19 de maio de 2022

Gravataí recebe cabine de biossegurança para retomar exames que detectam doenças pulmonares

Projetada pela Boehringer Ingelheim, a inovação possibilitará uma nova opção para a realização dos exames de espirometria

 

São Paulo, maio de 2022 -- A cidade de Gravataí, Rio Grande do Sul, recebe dos dias 16 a 27 de maio, a cabine de biossegurança para a realização de exames de espirometria -- que auxilia no diagnóstico preciso de doenças pulmonares crônicas. A ação é uma parceria da Boehringer Ingelheim, Secretaria Municipal de Gravataí e ocorrerá Rua Pref. Victor Hugo Ludwig, 235 Centro. A expectativa é atender até 150 paciente por dia.

 

Desde o início da pandemia, em função do alto risco de contágio por Covid-19, essa avaliação passou a ser recomendada apenas em casos extremamente necessários, atrasando o diagnóstico de doenças respiratórias como a asma e a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) popularmente conhecida como enfisema pulmonar. Com o retorno dos exames, a cabine é uma opção mais segura para a realização do mesmo.

 

A cabine de biossegurança, projetada pela Boehringer Ingelheim, tem como objetivo criar uma proteção extra para todos os envolvidos no processo do exame. Equipada de tecnologia de alta performance com dois filtros (HEPA e Ulpa) que permitem eliminar 99,9% de vírus e bactérias, purificando assim todo o ar que entra e sai da cabine em apenas um minuto [i].

 

“A espirometria é um exame em que o paciente assopra em um aparelho para medir a sua capacidade e a função pulmonar, podendo disseminar aerossóis -- que podem conter micro-organismos como bactérias, vírus da gripe e o coronavírus SARS-CoV-2 (causador da COVID-19).

 

"A cabine promove isolamento e a filtragem microbiológica do ar exalado protegendo técnicos, médicos, demais pacientes e profissionais de saúde da contaminação por vírus, bactérias e outros agentes que causam doença respiratória”, explica o especialista em Pneumologia e Tisiologia, Dr. Marcelo Gervilla Gregório, um dos responsáveis pelo projeto, em parceria com a Boehringer Ingelheim [ii].

 

Esta inovação 100% brasileira chega como uma alternativa viável mesmo na pandemia de covid-19 permitindo reduzir a fila de pessoas já cadastradas no Sistema Único de Saúde elegíveis para a realização da espirometria e auxiliar no diagnóstico e na avaliação de eventuais sequelas pulmonares pós-covid 19. 

 

Sobre a DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crônica é uma condição progressiva e séria que limita o fluxo de ar nos pulmões e afeta a qualidade de vida dos pacientes, por produzir sintomas como tosse crônica, expectoração e falta de ar, que muitas vezes impedem a realização de atividades básicas do dia a dia i ii.

 

No Brasil, quatro brasileiros morrem por hora, 96 por dia e 40 mil todos os anos[1] em decorrência da DPOC. O tabagismo é o principal fator de risco para a doença, seguido de exposição ocupacional e ambiental envolvendo vapores químicos, poeira e outras partículas que provocam inflamação pulmonar[2].

 

O diagnóstico precoce e o tratamento adequado diminuem as taxas de exacerbação (crises respiratórias nas quais a falta de ar piora subitamente)1. “É preciso evitar a progressão da doença por meio da detecção precoce para reduzir os números de internações hospitalares -- ainda mais em tempos de pandemia -- e a mortalidade pela doença, especialmente de pacientes entre 50 e 70 anos de idade”, explica o especialista.

 

O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são as chaves para diminuir as taxas de exacerbaçãovii (crises de piora). “Agora podemos personalizar o tratamento, oferecendo pela primeira vez aos pacientes em estágios mais avançados o broncodilatador de inalação em nuvem, que beneficia aqueles que não conseguem atingir um fluxo inalatório mínimo para inalar outros medicamentos” diz o especialista. 

 

Sobre o Programa AbraçAR

A cabine de biossegurança para espirometria foi apresentada no congresso Americano de Tórax (ATS) em 2021, e que foi citada na lista de referência da Organização Mundial de Saúde (OMS [iii] [iv]) faz parte do Programa AbraçAR, uma iniciativa da Boehringer Ingelheim do Brasil na prestação de serviços à saúde respiratória brasileira. Desde 2012, a companhia realiza gratuitamente, em parceria com secretarias municipais, estaduais e instituições de saúde, exames de espirometria de acordo com a solicitação e a autorização dos serviços, além de promover programas de capacitação de agentes e profissionais de saúde2.

 

Neste ano, para auxiliar no prognóstico acurado das doenças pulmonares crônicas, foi inserido no AbraçAR o Projeto ILung², que proporciona a conexão da segunda opinião de um radiologista de tórax à uma análise qualitativa do pulmão para substituir uma quantitativa, por meio da reconstrução das imagens obtidas, a partir de uma tomografia de tórax via softwares de pós-processamento de imagem. 

Dessa forma, é possível obter um relatório quantitativo acurado, complementar em 3D para pacientes e seus médicos. “Tudo acontece por meio de um link da imagem e da função pulmonar, em um único exame. O Projeto ILung² foi criado em meio à pandemia de Covid-19, como forma de elevar a acurácia diagnóstica das doenças crônicas pulmonares como a DPOC, Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI) entre outras doenças fibrosantes” explica o especialista.

 

O Programa AbraçAR é uma plataforma de serviços com ações estruturadas que fortalecem o aumento do diagnóstico e tratamento da DPOC, proporcionando redução no tempo da jornada e dos custos de hospitalizações para municípios e estados. A cabine realizou aproximadamente 9 mil espirometrias em 2021 e tem a expectativa de fechar 2022 com cerca de 70 mil exames em todo país.

 

 

 

Sobre a Boehringer Ingelheim

A Boehringer Ingelheim está entre as 20 principais farmacêuticas do mundo e é a maior de capital fechado, com cerca de 52 mil funcionários globalmente. Desenvolve soluções de saúde com grande valor e impacto para pessoas e animais e atua há mais de 130 anos, justamente, para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2020, obteve vendas líquidas de 19,6 bilhões de euros e investiu 3,7 bilhões de euros em Pesquisa e Desenvolvimento, aproximadamente 19% das vendas líquidas. No Brasil há quase 70 anos, a Boehringer Ingelheim está instalada no estado de São Paulo, com escritório na capital e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia, mas atua em todo território nacional. Pelo quinto ano consecutivo, a empresa foi reconhecida pela certificação Top Employers, que elege as melhores empregadoras do mundo por suas iniciativas de recursos humanos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário