sábado, 2 de dezembro de 2017

Engix conta como pagava propinas para Lula e Zé Dirceu em Madrid

Almada compareceu à PF espontaneamente para colaborar com as investigações sobre propinas de R$ 2,4 milhões das empreiteiras Engevix e UTC para José Dirceu. O petista teria recebido os valores durante e depois do julgamento do mensalão.

Em depoimento à Polícia Federal, o ex-vice-presidente da Engevix, homem forte da empreiteira, muito conhecido dos gaúchos,  Gerson Almada, falou sobre a existência de uma suposta conta em Madrid, na Espanha, para receber propinas de contratos da Petrobras. Segundo ele, a conta seria administrada pelo lobista Milton Pascowitch para beneficiar o ex-presidente Lula e o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, ambos do PT. 

As informações são do Estadão de hoje.

O depoimento dele estava em sigilo até esta sexta-feira, quando o juiz Sergio Moro o retirou. 

Almada disse que firmou contratos dissimulados com a empresa de comunicação Entrelinhas com o objetivo de pagar propinas a José Dirceu. Ele afirmou que, mediante o fornecimento das notas fiscais, a empreiteira pagou R$ 900 mil de 2011 a 2012 .

O executivo ainda disse que mantinha uma conta com o lobista Pascowitch desde 2005 para pagar propinas a agentes públicos, políticos e partidos. De acordo com o ex-vice-presidente da Engevix, o próprio lobista sugeriu que os pagamentos fossem feitos a Dirceu.
Gerson Almada ainda fez questão de constar em seu depoimento que "é muito difícil uma empresa estrangeira ingressar no mercado de petróleo brasileiro como fornecedora e por conta disso buscaram pessoas com ligações políticas para facilitar o seu ingresso e que a decisão na época em adquirir o equipamento se deu para reforçar os laços com José Dirceu, objetivando o favorecimento da Engevix nos contratos com a Petrobras".
Almada afirmou que "no início de 2014"  Milton Pascovitch teria dito que "iria viajar para Paris e, dali, para não deixar rastro, viajaria de trem para Madri/Espanha para olhar a conta" que ele administrava para "pessoas do PT". De acordo com o executivo, ele entendeu que as "pessoas" seriam Lula e Dirceu porque o lobista mantinha contato intenso desde 2008 com o ex-ministro.
Em relação a Lula, acreditou que parte da comissão do contrato entre a Ecovix – Engevix Construções Oceânicas S. A. e a PNBV Petrobrás Netherland B.V. M ,  no ano de 2009 ou 2010 para o fornecimento de oito cascos,  seria destinada para a "aposentadoria do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva".

Almada afirmou não ter provas sobre a conta administrada por Pascowitch em suposto benefício dos petistas, mas entregou documentos às autoridades sobre o suposto pagamento de US$ 10 milhões para o lobista, nos Estados Unidos, em 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário