sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O Sol brilha no amanhecer

O   Sol brilha no amanhecer

Estamos vivendo um momento singular de nossa história. Um novo ciclo parece se iniciar. Cortinas de ferro da mente, como pó, precisam se esfarelar. Apesar do medo, hábitos devem mudar.
  Creio eu, que o primeiro ato de libertação do individuo é de sua consciência. Os atos, quando praticados com consciência, geram a ordem ,eliminando o caos. A consciência evita a desordem interna e externa; faz a ligação que aprofunda o conhecimento. Promove  decisões que traduzem  lealdade a si mesmo e a verdade.
 Uma Consciência construída na mutualidade, na presença de EU – TU, faz nascer o desejo do  auxilio mútuo.
 Quando  os alicerces para a construção do ser consciente são atacados, instala-se a descrença. Imensa descrença em que o país mergulhou, fomentada pela dúvida, pela degenerescência moral, promovendo uma decadência que nos levou às portas da desesperança. Faltou a fé em algo que pudesse servir de esteio principalmente para a juventude.
O país esteve algemado pela corrupção, pela mentira, pela enganação, que se tornou um “modus vivendi”.
Olhando para trás se vê “linhas de destruição” delimitando territórios.
Uma desordem inaudita, já sendo agora substituída por ordem, por linguagem compreensível, por busca de Paz.
Muito, muito tempo e muito trabalho restam para serem feitos, mas já se caminhou bastante.
Espero que tenhamos escapado de uma espiral de destruição ─ a qual tínhamos aceitado, passivamente até sermos asfixiados. Escapamos pelo grau de consciência que estamos aceitando adquirir.
  Asfixiados por uma maré montante da linguagem ideológica, que deformava a realidade.
O que se sente ainda é a existência de uma forte autocensura no ato  de pensar, uma submissão ensimesmada do Ser.
Temos um compromisso enorme com os jovens, com as crianças, e devemos garantir a elas um clima de presença de honestidade, e justiça.
 Lembro de  San Juan de La Cruz (1542-1591),frade espanhol, que deixou não somente escritos que são considerados obra prima da literatura espanhola, mas tem sua própria vida como um modelo de caminho  para a santidade.  Em grande agonia escreveu  “A Noite Escura da Alma “, onde expõe suas dificuldades , luta interior e dores na sua ascensão espiritual. A frase carrega em si forte conteúdo simbólico. Inspirei-me nele, respeitando, obviamente, as particularidades das situações, captando esse momento de Noite que atravessamos.
 Por resultado de trabalho de órgãos competentes ─ entre eles o Ministério Publico Federal, a Policia Federal, ─ A barreira de silencio foi rompida. Os acontecimentos foram se tornando claros. A turvação que foi plantada com anos de mentira vai se desfazendo. Assim é que  muitos são os responsáveis pela restauração da Esperança. O povo, que saiu às ruas, ordeiramente para manifestar sua indignação. Os que resolveram colaborar com a justiça, contando  a verdade, seja em parte ou total ,de fato tem dado uma importante contribuição.
 A desordem que era estimulada, sendo um adubo para o mal florescer; agora há  uma ordem facilitadora da vida.
Repito, muito resta a fazer; assim caminham as civilizações, as nações, com seus altos e baixos, num permanente vir a ser. Nunca as coisas estiveram tão expostas. Ainda tem grupos que se digladiam, brigando pela existência de um pensamento único que não podia ser questionado.
Se o caminho corrigido não fosse, os  fatos deformados  ficariam em contradição  com a experiência  vivida e real de corrupção e destruição. Disso resultariam mentes alteradas –com uma dissociação instalada ─, impossibilitadas ficariam de ligarem os atos de  às suas consequências .
Há um caminho em curso, muitos fatos colocados em evidencia, muitas áreas acrescentando dados novos, que darão subsídios para revisão de conceitos que podem estar sendo ultrapassados.
Vemos estudos,por exemplo, de mais de cinco décadas, de Eric Voegelin (1901-1985) –  no seu livro Anamnese – Da teoria da História e da Política, onde novos conceitos são por ele  desenvolvidos  , baseados  nos anos de estudo e experiência como professor  onde intensivamente nomeia fatores que concorrem para a integração e desintegração das sociedades apontados na sua extensa obra. É um legado que não pode deixar de ser conhecido e estudado pelos que querem ampliar sua compreensão da realidade.

   O Ser consciente não se limita ao tempo presente, tampouco foge dos embates do cotidiano. Sabe dos limites das ideologias, e a elas não fica acorrentado.

2 comentários:

  1. As ideologias ensinam o indivíduo a sentir, pensar e agir e tira deles qualquer resquício de livre arbítrio. Nesse ambiente o ser humano não mais reflete com auto determinação, ele se move apenas pelos emoções, se tornando presa fácil da demagogia, virando massa de manobra de líderes inescrupulosos. Alguém tem que fazer perceber a essas mentes infantilizadas, que não há evolução sem consciência própria, nem vida verdadeira nessa alienação.

    ResponderExcluir
  2. Onde se instala uma ideologia, não há lugar para ideias novas.

    ResponderExcluir