terça-feira, 22 de março de 2016

Artigo, Fernanda Barth - Dilma, esta tarde, virou nosso próprio Oroboro

Ouvi estarrecida o discurso da presidente Dilma agora a tarde (22/03) no evento batizado de Encontro com Juristas pela Legalidade e em Defesa da Democracia. Tenho certeza de que não fui só eu que achei o título bastante irônico. Foi como seu estivesse vendo uma obra de ficção, com discursos completamente desconectados da realidade. Em tudo o que foi dito por ela e por seus defensores existe uma verdadeira agressão à verdade, aos fatos.
Um evento vergonhoso, em ambiente controlado, com plateia treinada, onde a manipulação da verdade atingiu níveis absurdos, foram feitos ataques ao juiz Sergio Moro e a toda a Operação Lava Jato, como se tudo o que aconteceu até aqui fosse uma invenção orquestrada por grupos que não aceitaram o resultado das urnas. Haviam participantes comparando Dilma à Getúlio e outros taxando de fascistas em busca de um “fuhrer” todos os que querem o fim deste governo.
Dilma foi recebida aos brados de “não vai ter golpe!”, como se o referido golpe não fosse a tentativa de colocar Lula como Ministro para ter foro privilegiado, ou ainda a nomeação de um Ministro da Justiça que em seu primeiro dia faz ameaças a Operação lava-Jato em um dos maiores jornais do País. Ao insistir que o impeachment (inevitável) é golpe, Dilma esquece o próprio passado do PT, grande defensor do instrumento, e tenta, em ato de desespero, conclamar a sociedade a defender o governo. Ao taxar de inimigos golpistas os milhões de pessoas que foram às ruas, comete um tremendo erro e mostra que ainda não compreendeu o processo que está em curso, onde a população saturada de corrupção e de mentiras, já viu que o rei está nu e que o PT acabou.
A fala de Dilma, a pantomima que foi montada, mais pareceu o último suspiro de um governo moribundo que, completamente desconectado da vontade popular, fica repetindo o próprio discurso, falando apenas para o próprio umbigo. Sem força de articulação, sem base, sem argumentos verossímeis, não consegue convencer mais ninguém. Tenta se vitimar para ver o que sobrou de sua militância. Vai acabar engolindo o próprio rabo, como o Oroboro, ou assistindo, desnorteado, os próximos acontecimentos.

Fernanda Barth
Jornalista e Mestre em Ciências Políticas
Consultora de Comunicação Política & Gestão de Imagem
(51) 99997457
http://www.fernandabarth.com.br


5 comentários:

  1. Excelente esta analise da Jornalista Fernanda Barth. Este discurso da Presidente é o discurso dos desesperados com o fim de uma era.

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que há Jornalistas independentes e lúcidos.


    Jornalista Fernanda Barth,

    Grato pela sua análise.

    ResponderExcluir
  3. Uma Dilma, presidente-biônica produzida pelo Lula,
    Mentindo desesperadamente para plateias encomendadas.

    ResponderExcluir
  4. FIRULAS DE UM GOVERNO MORIBUNDO


    Firme com uma estaca no brejo, e se diz governo...
    Instituições abaladas, mortadelas e coxinhas torcendo,
    Rumores e ameaças perturbando a Nação.
    Um Lula investigado, um ex-presidente ainda no comando é
    Levado para a Casa Civil: uma criminosa
    Artimanha para livra-lo de eminente prisão.
    Sociedade civil não aceita e manifesta indignação.

    Defensores da corrupção desbragada
    Emitindo declarações mentirosas e apelando para o STF.

    Uma Dilma, presidente-biônica produzida pelo Lula,
    Mentindo desesperadamente para plateias encomendadas.

    Gritaria, cartazes de deputados prós e contras, bate-bocas:
    O Impeachment de Dilma em debate. Heráclito, na Tribuna:
    Vossas Excelências precisam tomar suco de maracujá!
    E dessa vez, Cunha – o réu, levou a cambada a aprovar.
    Renan, também réu da Lava Jato, só aguardando e
    Negociando, sonhando que se livrará do xilindró.
    Os ossos de Rui Barbosa se remexendo no túmulo, de dó...

    Moro, Juiz herói para a maioria e vilão dos pró-corrupção.
    O Ministro Gilmar Mendes, do STF, idem, idem.
    Razão deixada de lado, torcidas tomadas pela emoção e
    Irracionalidade, do jeitinho que os autocráticos querem.
    Brasil só encontrará o Rumo para Reconstruir o Estado,
    Ultrapassando obstáculos e eliminando vícios institucionais
    Nefastos, investindo e buscando Excelência na Educação,
    Desenvolvendo a participação efetiva da Sociedade na
    Observância e obediência ao Estado Democrático de Direito.

    AHT
    21/03/2016

    "Preservemos nossas instituições, especialmente a Corte constitucional, pois se ela se perder em firulas internas o País e a Nação se perderão com elas." - (Brasilino Neto)

    ResponderExcluir
  5. Discursa, Dilma, discursa!
    Pode discursar o quanto quiser, é um direito que você tem e como qualquer outro brasileiro também tem.
    Quem segue o PT, aplaude e concorda com o seu discurso.
    Quem não reza a cartilha do PT não aplaude e discorda diametralmente.

    A maioria do Povo Brasileiro não segue a cartilha do PT. Tudo tão simples e claro, como não adianta discursar entre quatro paredes de uma solitária cela na Papuda.

    ResponderExcluir