sábado, 12 de março de 2016

Carta de Brasília

CARTA DE BRASÍLIA

 A mais grave das crises atinge a nação brasileira. Ela une a degradação rápida da nossa economia, o empobrecimento vertiginoso da nossa população, com a falência ética e moral nas relações políticas, e com a falta de comando e de credibilidade do Governo nacional. Voltam demônios há muito exorcizados, como inflação, desemprego, fechamento das indústrias, e um desarranjo nunca visto, das contas públicas. A máquina pública se agigantou, consumindo recursos que deveriam estar no atendimento direto das necessidades básicas da nossa gente, sem qualquer gesto do Governo para uma revisão. As investigações da corrupção chegam aos mais altos escalões da República. Na base de tudo está uma condução desastrada do país, sem rumo, e sem esperanças de melhora para a sociedade. Como consequência rumamos para a maior contração da economia dos últimos 50 anos. É um Governo inchado, desacreditado e incapaz de melhorar serviços públicos essenciais como saúde, educação e segurança.
Diante de tal quadro, o PMDB não pode ficar de braços cruzados. É hora de nos posicionarmos, claramente, ao lado da sociedade e dos mais altos interesses nacionais. Assim nós, membros da Convenção Nacional do PMDB:
Considerando que nosso partido, embora participando  da base do governo federal, nos últimos anos, e tendo o Vice Presidente da República, jamais teve suas propostas consideradas e sequer foi convidado a participar das decisões governamentais que levaram a essas crises.
Considerando que as decisões políticas estratégicas nacionais, ao longo desses últimos anos, foram tomadas exclusivamente pelo PT, determinando a situação atual.
Considerando que é uma necessidade inadiável oferecer saídas viáveis, que recuperem a esperança é o ânimo do nosso povo, propomos:

1)que o PMDB se afaste imediatamente dessa desastrosa condução do país e atue de forma independente do Governo Federal, nas suas ações e nas posições no Congresso Nacional. Temos que desembarcar do Governo que não nos respeita nem considera, para conquistar a liberdade necessária de encontrar saídas transformadoras  para a profunda crise em que mergulhamos enquanto nação.
2) nosso posicionamento será sempre com a nossa consciência e com o Brasil, respeitando a vontade da população, expressa mais de uma vez nas pesquisas e nas ruas. Temos que ajudar para que sejam feitas as mudanças necessárias e se passe a limpo nosso país!
3) com esse afastamento queremos recuperar o protagonismo político do PMDB,  dentro da sociedade, que nos permita debater e apontar soluções para o Brasil. E que elas tenham sempre a questão ética e moral como base, permitam um novo pacto federativo, reduzam a máquina pública e retomem o desenvolvimento econômico e social para todos os brasileiros.
Independência e afastamento do Governo Já!

Brasília, 12 de março de 2016


Nenhum comentário:

Postar um comentário